UNIPLAN

Como acessar

Áreas de Atuação

O Centro Universitário, por sua concepção histórica, entende ser de sua responsabilidade a formação dos quadros profissionais da região, do Estado e do País, tendo no ensino com pesquisa e na extensão o compromisso com as diretrizes e preceitos da excelência educacional.
Nesta perspectiva, a educação superior do Centro Universitário pretende abranger cursos e programas presenciais ou a distância: de graduação; de pós-graduação; de extensão; seqüenciais; e tecnológicos.

No Ensino de Graduação

O Centro Universitário considera importante a Graduação, pela sua relevância na construção da visão de mundo e da postura política do indivíduo, preparando-o com autonomia e liberdade por meio de um processo educacional que garanta a conciliação da postura ética com a prática profissional para o exercício da cidadania. Como formação inicial, deve propiciar a construção de uma ordem social em processos de aprendizagem permanente.
O UNIPLAN, orientado por uma visão interdisciplinar, concebe a sua organização didático-pedagógica a partir do avanço da visão restrita de mundo e a compreensão da complexidade da realidade e reconhece, assim, que todo o conhecimento é igualmente importante. Neste sentido, procura a integração do ensino com a pesquisa e estimula a extensão por meio de ações factíveis e razoáveis ao seu universo de aplicação.
Objetivos para a Graduação:

  • Identificar os projetos que motivam os estudantes a investir em formação superior ou instrumentalizá-los para formular seus próprios projetos;
  • Empenhar-se para os estudantes concretizarem tais projetos;
  • Desenvolver atitudes de pesquisador entre os estudantes interessados pela vida acadêmica oferecendo o Programa de Iniciação Científica (PIC);
  • Incentivar a qualificação dos professores e sua progressão na carreira docente;
  • Identificar as necessidades da sociedade e do mercado de trabalho e as competências requeridas pelas organizações para desenvolvê-las;
  • Atualizar o desenho dos programas de Graduação na direção das demandas dos estudantes, das organizações e da comunidade;
  • Aprimorar o foco dos cursos existentes, identificando-o por meio da sua essência, de forma a assegurar e manter os objetivos, habilidades e competências definidos no Projeto Pedagógico do curso;
  • Incentivar a utilização dos recursos audiovisuais, da microinformática e de novas pedagogias;
  • Implantar e aperfeiçoar os Conselhos Didático-Pedagógicos para que promovam continuamente a interação dos representantes do corpo docente e do corpo estudantil no avanço e na consolidação dos objetivos dos cursos;
  • Implementar mecanismos de integração entre o Centro Universitário e a comunidade local; e
  • Aprimorar os instrumentos de auto-avaliação e os critérios de promoção de ensino e aprendizagem.

Para atingir esses objetivos gerais, é necessária a formulação de projetos curriculares mais flexíveis para os diferentes programas de ensino. A partir dessas considerações, a concepção dos cursos de Graduação do UNIPLAN respeita os seguintes princípios:

  • Estímulo ao desenvolvimento de conteúdos integradores e essenciais por meio de abordagens interdisciplinares;
  • Desenvolvimento do espírito reflexivo, crítico e analítico, preparando os estudantes para a resolução dos problemas enfrentados na atuação profissional, resultantes da evolução científica e tecnológica;
  • Incorporação do exercício da parceria como elemento fundamental das atividades de ensino e extensão;
  • Orientação das atividades curriculares para a solução de problemas no contexto local; e

Consideração da Graduação como etapa de construção das bases conceituais, teóricas e metodológicas para o desenvolvimento do processo de educação continuada.

No Ensino de Pós-Graduação

Os programas de Pós-graduação, ao serem oferecidos, terão o objetivo de contribuir com a formação dos professores e com o progresso da região onde o Centro Universitário está situado. Tendo em vista a pouca tradição acadêmica que caracteriza a região, o planejamento e a execução de programas de Pós-graduação, embora necessários, dependem das competências docentes e acadêmicas conquistadas em outras regiões do País. Isso explica a razão de os Programas de Pós-graduação previstos estarem atrelados ao conceito de “programas interinstitucionais”.

Objetivos do Ensino de Pós-Graduação:

  • Contribuir para capacitar recursos humanos, oferecendo um diferencial de competitividade para atender à demanda social que exige aprendizado contínuo, particularmente nas áreas profissionais;
  • Contribuir para o aperfeiçoamento e capacitação permanente do corpo docente e para a melhoria do desempenho acadêmico; e
  • Estimular a criação de cursos de Pós-graduação interinstitucionais para utilizar de maneira mais eficiente as competências internas e favorecer as competências regionais e/ou nacionais.

Na Pesquisa

De acordo com o artigo 46 do seu Estatuto, o Centro Universitário desenvolve, incentiva e apóia a pesquisa, diretamente, por meio da concessão de auxílio para a execução de projetos ou outras formas de apoio, com o objetivo de produzir conhecimento de forma crítica e sistemática estimulando sua produção científica.
As normas regulamentares referentes às atividades de pesquisa, nos aspectos relativos à sua organização, funcionamento, administração, financiamento, assim como os relacionados à sua avaliação e divulgação, são aprovadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.
Considerando o compromisso com a formação superior, o UNIPLAN priorizará, em suas linhas de pesquisa, as áreas de conhecimento dos cursos que oferece e que venha a oferecer, as áreas de competência dos professores com perfil de pesquisador e as áreas de interesse da região, para poder investir em:

  • Programas de Iniciação Científica;
  • Programas de Apoio à Publicação; e
  • Programas de Apoio à Pesquisa.

O UNIPLAN possui duas linhas de pesquisa: a) Saúde, Educação e Tecnologia; e b) Sociedade, Cultura, Justiça e Tecnologia;
O UNIPLAN acredita que a realização destas atividades desenvolve competências que, além de alimentar/realimentar a estrutura curricular, os conteúdos programáticos, o ensino e a aprendizagem de um modo geral, contribuem para a realização de consultorias às organizações da região, a organização e oferta de minicursos abertos, palestras, treinamentos, entre outros.
São objetivos para a pesquisa:

  • Manutenção e dinamização das ações sistemáticas para o estímulo ao desenvolvimento da atitude de pesquisa entre professores e estudantes, por meio de palestras, seminários, reuniões e apoio a didáticas que articulem ensino e pesquisa;
  • Criação de uma política de pesquisa que esteja completamente integrada com a graduação, a qualificação e a capacitação do corpo docente;
  • Elaboração de material de apoio para os professores pesquisadores; e
  • Criação de um espaço próprio para os pesquisadores.

Na Extensão

A Extensão deve ser encarada na perspectiva da produção do conhecimento, contribuindo para viabilizar a relação transformadora entre o UNIPLAN e a sociedade.
As atividades de extensão, inclusive as de natureza desportiva, artística e cultural, visarão valorizar e estimular a criação e difusão da arte e da cultura, particularmente aquelas patrocinadas pela comunidade, refletindo o potencial do Centro Universitário no contexto social e sendo base para o desenvolvimento de programas de ensino e produção do saber, recolhendo insumos para a contínua revisão do fazer acadêmico.
A programação extensionista incluirá a promoção de serviços à comunidade e a realização de cursos de treinamento de profissionais nas áreas de Educação e Técnico-científica, assumindo as formas de curso de extensão, palestras, conferências, simpósios, jornadas e assistência a empresas e órgãos públicos.
De modo geral, o UNIPLAN se propõe a realizar sua integração com a sociedade por meio:

  • da realização de seminários de atualização em suas áreas de competência;
  • do programa de cursos de extensão, envolvendo temas atuais, de interesse e necessidade das comunidades externa e interna;
  • do programa de convênios com diversas instituições do Estado e dos municípios;
  • de encontros envolvendo categorias específicas;
  • da criação e prestação de serviços de assessoria e consultoria à comunidade, envolvendo estagiários e docentes do Centro Universitário e profissionais da comunidade estadual;
  • de serviços de intermediação de oportunidades de estágio para estudantes do Centro Universitário;
  • da participação em iniciativas de natureza cultural, artística e científica;
  • de estudos e pesquisas em torno de aspectos da realidade local ou regional;
  • da publicação de trabalhos de interesse cultural ou científico e divulgação de conhecimentos e técnicas de trabalho; e
  • do estímulo à articulação da extensão com a pesquisa e o ensino, visando integrar, sempre que possível, o saber acadêmico com a realidade.

Objetivos para o Desenvolvimento da Extensão:

  • Realizar avaliação diagnóstica da realidade social por meio de pesquisa;
  • Identificar as ações de extensão por meio de organização de fóruns, seminários e workshops que retratem seus resultados e envolvam toda a comunidade acadêmica;
  • Implantar uma política de ações de extensão com objetivos de transformação social;
  • Identificar as lideranças políticas, sindicais e civis por meio do contato direto com a população e os meios de comunicação para melhor ajustar os programas de extensão às necessidades locais;
  • Identificar a capacidade extensionista das Coordenadorias de Curso por meio da produção e dos resultados das ações junto à sociedade;
  • Incentivar o corpo docente e discente a promover a extensão em projetos que atendam às necessidades prioritárias da sociedade; e
  • Agregar a extensão aos campos desenvolvidos nos estágios e pesquisas por meio da permuta de conhecimentos e vivências dos indivíduos, visando à transformação do sujeito e da sociedade.

Dessa forma, o UNIPLAN, ao implementar os seus currículos plenos, ementas, programas e recursos didáticos efetivando a integração entre ensino, pesquisa e extensão, pretende:

  • mais do que contribuir para a promoção da ciência e da tecnologia no contexto histórico-social da comunidade, buscando rigorosa e metodicamente o conhecimento, por intermédio da livre discussão do ensino, da pesquisa, da extensão e da cultura, promover a aprendizagem ativa, de modo que o estudante seja sujeito de seu projeto educacional;
  • privilegiar a produção e a incorporação do conhecimento sistematizado, da reflexão, do debate e da crítica em uma perspectiva interdisciplinar;
  • resgatar o conhecimento como reflexão, dúvida, compreensão e crítica do que nos é oferecido pela observação e pela experiência do mundo físico e social; e
  • socializar o conhecimento elaborado com o intuito de desenvolver competências que promovam a reflexão e a ação responsável na direção de uma sociedade mais justa.

Nos Cursos Tecnológicos

O UNIPLAN pretende implantar Cursos Tecnológicos de Desenho Técnico Arquitetônico, Desenho Técnico Mecânico, Designer Gráfico, Designer Multimídia, Gerenciamento de Redes, Gestão de Comércio Exterior, Gestão de Empreendimentos de Saúde, Gestão de Empreendimentos de Turismo e Hotelaria, Gestão de Empreendimentos Esportivos, Gestão de Marketing, Gestão de Negócios Empresariais, Gestão de Organização de Eventos, Gestão de Pequenas e Médias Empresas, Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Sistemas de Informação e Web Designer, cujos processos já se encontram em tramitação no MEC.
Tal deliberação explica-se pela ampla gama de situações e questões suscitadas pelos mercados globalizados, sujeitos a transformações a cada nova tecnologia absorvida, exigindo agilidade e flexibilidade das Instituições de Ensino em sua oferta de produtos educacionais. A opção por cursos de níveis diferenciados atenderia, portanto, à expressiva demanda por educação pós-média, em direta correspondência com a diversidade socioeconômica do País.
Os cursos tecnológicos, destinados a egressos do ensino médio, técnico e superior, diferem dos cursos seqüenciais ao possibilitar ao seu egresso o prosseguimento de estudos em outros cursos e programas de educação superior.
Sua organização curricular dá especial ênfase às competências profissionais peculiares às áreas exploradas, obedecendo a perfis profissiográficos formulados a partir da aferição das demandas imediatas do mercado de trabalho e da sociedade. Suas diretrizes curriculares são presente objeto de estudos pelo MEC, como parte dos trabalhos de reforma da Educação Profissional segundo os pressupostos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) de 1996.
O Centro Universitário pretende que os Tecnólogos por ele formados sejam, em conformidade com a definição proposta pelo MEC, profissionais de nível superior aptos a desenvolver, de forma plena e inovadora, atividades em suas áreas de formação específica, contribuindo para o pronto atendimento das necessidades do mercado de trabalho das regiões em que atuarem.
Objetivos para os Cursos Tecnológicos:

  • Ofertar cursos e currículos concisos e objetivos, voltados para a qualificação profissional tanto de indivíduos ainda não inseridos no mercado de trabalho quanto daqueles que necessitam de oportunidades de qualificar ou requalificar sua atuação profissional, sintonizando-se com as mais recentes demandas do mercado de trabalho quer como empregado ou empreendedor;
  • Estabelecer parcerias com o setor produtivo, categorias profissionais, órgãos governamentais e entidades de utilidade pública, de forma a possibilitar que os diferenciais destas entidades sejam ofertados na forma de cursos específicos, utilizando, quando necessário, recursos de educação à distância, com etapas presenciais e semi-presenciais, de acordo com os recursos disponíveis ou disponibilizáveis;
  • Estabelecer um diálogo permanente com educadores, empregadores e trabalhadores, com espaço aberto para a participação de especialistas de diversas áreas na concepção e adequação de disciplinas e atividades; e
  • Atender às demandas locais e regionais, mantendo a flexibilidade necessária para adaptações das áreas existentes e para o surgimento de novas demandas e situações.